RPG como ferramenta na educação 

Seguindo na proposta de falarmos sobre RPG e educação, neste texto abordaremos mais como esta ferramenta pode ser útil no processo de aprendizagem e utilizado na educação no geral. As vantagens de pensarmos no RPG como uma ferramenta são: a) baixo custo de materiais; b) não há limite com relação a aplicação, contexto ou idade; c) fácil compreensão de funcionamento e promoção de interação criativa; d) é um material que é passível de ser extremamente motivador; e) promove ferramentas para o acompanhamento da aprendizagem. 

  1. A) Baixo custo de materiais:O RPG não requer materiais caros ou complexos para serem jogados. Muitas vezes uma folha sulfite, lápis, borracha e um dado.
  2. B)Não há limite com relação a aplicação, contexto ou idade:é uma ferramenta completamente inclusiva. Como é um processo narrativo, ele pode ser adaptado para qualquer situação, idade e objetivo, podendo ser usado em qualquer contexto que sua criatividade permitir. 
  3. C)Fácil compreensão de funcionamento e promoção de interação criativa:no RPG a pessoa que joga está no papel de protagonista capaz de modificar tudo naquele cenário e para isso precisa interagir com os outros jogadores, narrador e até mesmo os personagens criados naquele espaço, em regras simples de aprender. Esse protagonismo será importantíssimo para os outros dois tópicos a seguir. 
  4. D) É um material que é passível de ser extremamente motivador:por ser capaz de provocar mudanças significativas naquele cenário como um protagonista, o estudante jogador acaba ficando ainda mais motivado a explorar, aprender e descobrir mais sobre a história e o cenário. Quando falamos de estudo em que notamos que a motivação é um ponto complicado de trabalhar, o RPG pode ser utilizado para aumentar essa motivação misturando temas de interesses do estudante comconteúdos escolares ou de aprendizagem que não necessariamente motivam, mas que vistos em contextos diferentes e aliados a situações inusitadas ou fantasiosas podem direcionar um novo olhar àquilo. 
  5. E) Promove ferramentas para o acompanhamento da aprendizagem:os sistemas de RPG geralmente possuem uma evolução para a personagem como protagonista da história, de modo que este, com o desenrolar narrativo, adquira novas habilidades e características. Quando utilizado na educação, este mesmo sistema é um feedback importante para que os participantes consigam acompanhar o progresso que fazem tanto no desenrolar da história quanto dos elementos educacionais misturados no enredo.

A partir disso, podemos pensar em um exemplo: 

Para ilustrarmos melhor como isso pode ser aplicado, vamos pegar a habilidade de “escrever parágrafos com começo, meio e fim”. Normalmente não há muitos motivadores quando pensamos em treinar isso dentro da construção de um texto formal de redação, mas podemos inserir uma narrativa tal como: 

“Imagine que você é um explorador e está andando por terras nunca antes exploradas, você não sabe o que irá encontrar e o medo parece seu maior companheiro, mas você arrisca adentrar aquelas terras. Ao pisar no local, você sente uma presença maligna e pensa em correr naquela direção, atravessando o terreno tortuoso você se depara com uma clareira, nela estão criaturas pequenas e estranhas, mas que parecem estar fazendo um ritual de invocação. Você não sabe o que está por vir, sente apenas que o que está para ser invocado pode mudar o mundo. 

Distante de tudo, você conta apenas com Erwin, sua águia mensageira e um pedaço de papel. Suas mãos suam e tremem, você sente que você precisa comunicar isso para o mundo antes que seja tarde demais.” 

Depois dessa narrativa, podemos pedir para o aluno escrever essa carta para o rei do continente alertando sobre o perigo. Como há toda uma narrativa, um contexto e até mesmo esse protagonismo, há uma motivação diferente para conclusão da tarefa e o treino dessa habilidade. 

 

Podemos ver, com base nestas características mais gerais que o emprego de um sistema narrativo estruturado para o contexto do estudante de maneira a garantir esse contato com oportunidades de interagir com os elementos de ensino de maneira mais aberta, a partir de interação narrativa e feedback sobre o próprio progresso no tema são o que mais encantam no RPG como ferramenta na educação! 

 

Felipe Tartaglia Dias e Lucas Eiji Fukue